sejam bem vindos ao espaço de todos nós!!

17 de março de 2008

Cuidando de quem cuida

O que significa cuidar de alguém? Quais implicações essa decisão pode trazer a vida da pessoa que assume essa função? Estas são algumas perguntas que merecem reflexão antes de se assumir tal responsabilidade. A palavra cuidar tem seu significado bastante amplo, segundo o dicionário Aurélio cuidar é ter atenção, cautela, zelo, porém seu ato representa mais que um momento de atenção, é na realidade uma atitude de preocupação, ocupação, responsabilização e envolvimento afetivo com o ser cuidado. O cuidado apenas aparece quando a existência de alguém adquire significado para nós, nesse sentido passamos a cuidar, participar do destino do outro, de suas buscas, sofrimentos e sucessos. O significado da palavra cuidador, cuja origem vem do "cuidar+dor", é o cuidar da dor do outro, por isso assumir tal função exige inevitavelmente da pessoa uma série de readaptações e reencontros com sua própria história.
O primeiro passo normalmente é a escolha do cuidador, o qual pode ser classificado como cuidador formal, profissionais da área de saúde tais como médicos, enfermeiros, psicólogos e como cuidador informal, que em geral são familiares ou outras pessoas que se dispõe a cuidar do paciente. Neste último caso as escolhas são mais complexas, pois envolvem mudanças muitas vezes radicais na vida de outra pessoa. O ideal quando falamos desse momento é que toda família esteja envolvida dividindo as tarefas, mesmo que apenas um fique como o responsável direto, porém se sinta apoiado pelos demais membros da família. Desta forma todos sairão ganhando, pois não haverá sobrecarga para ninguém e a relação paciente/cuidador certamente será preservada.
Na maioria das vezes o cuidador não tem idéia do que irá vivenciar, desde questões relacionadas à infra-estrutura como obras em sua casa para melhor atender as necessidades do paciente, com também aumento de trabalho, exigindo uma maior disponibilidade de tempo e adaptações financeiras. Todo este movimento muito provavelmente acarretará numa sobrecarga emocional, onde muitas vezes o cuidador experimentará sentimentos de tristeza, impotência, frustração, culpa, raiva, medo e luto. Nesse momento é muito importante para a saúde física e psíquica do cuidador que ele identifique esse sentimentos e lide de forma satisfatória com eles.
O envolvimento prolongado e desestruturado nas atividades do cuidar pode ter um efeito sobre a saúde física e emocional do cuidador, conforme já comprovado através de estudos realizados, cujos resultados mostraram altos índices de depressão, sintomas de estresse, redução no nível da imunidade e aumento na susceptibilidade a enfermidades como resposta a esse desequilíbrio. Esta análise também é válida ao cuidador formal, para que esteja atento aos seus sentimentos, pois ignorá-los muitas vezes acabará comprometendo seu desempenho profissional.
Diante da prática observa-se uma série de medidas que minimizam as consequências geradas pelo exercício desta função, tais como:
  • ter uma relação satisfatória com os profissionais envolvidos no acompanhamento do paciente, com o objetivo de sanar dúvidas que irão diminuir a angústia;
  • ouvir o que o paciente tem a dizer sobre seus sentimentos e medos e admitir seus próprios sentimentos;
  • informar-se a respeito da doença;
  • Falar com outras pessoas que vivenciam as mesmas experiências;
  • a tarefa do cuidador principal pode ser de uma só pessoa, mas todos os familiares devem se esforçar para ajudar e amenizar a carga e o estresse desse cuidador;
  • não afastar-se de seus amigos, manter atividades sociais;
  • manter hábitos alimentares saudáveis, procurar dormir o necessário para descansar;
  • explorar sua religiosidade, mesmo que não pertença a uma religião fromal;
  • não deixar de procurar ajuda profissional se perceber que não está conseguindo lidar com seus sentimentos.

Lembre-se cuidador, você também tem necessidades e vontades e, satisfazendo-as, estará garantindo ao paciente melhores cuidados. Quanto mais você se cuidar, melhor cuidador será.

Adriana Bonneterre

Sandra Santos

Um comentário:

Nayara disse...

Olá Boa Tarde.
Meu nome é Nayara,sou estudante de Enfermagem,estava pesquisando o significado da palavra cuidar e quando encontrei este site adorei.Minha pesquisa ficou completa,pois tudo que minha professora tinha falado na aula passada se comparou com este texto de vocês.Adorei este site e pretendo continuar minhas pesquisas assim que tiver outras.

Profissionais

Adriana Bonneterre - CRP 05/31697
Graduada em Psicologia - Universidade Estácio de Sá
Especialista em Psicologia Hospitalar pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

Sandra Santos - CRP05/31553
Graduada em Psicologia - Universidade Estácio de Sá
Especialista em Psicologia Hospitalar pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro


Serviços oferecidos:

Atendimento clínico - individual e grupo
Atendimento domiciliar

Atendimento Pré e Pós cirúrgico
Consultoria para hospitais e clínicas

Orientação Profissional
Cursos, palestras
Grupos de estudo

Contatos:
Adriana Bonneterre - (11) 9586-0810

Sandra Santos - (21)7849 0540
Id 81*59910
psiclinicaehospitalar@hotmail.com